Entrevista: Os segredos e dicas de Julia Petit

3
173

O Buchicho deste sábado teve na capa uma matéria que tem tudo a ver com a gente: maquiagem e internet. Já ficamos animadas daí. Ao abrir o caderno e finalmente achar a matéria, tivemos mais uma surpresa: Julia Petit foi entrevistada e deu diquinhas de beleza!

materia buchicho julia petit domitila andrade 1

O texto é da querida e talentosa Domitila Andrade e está superlegal. Vale a pena ler na íntegra clicando aqui. O que me chamou atenção foi que a entrevista da Petit ficou… petite. Três perguntinhas. Mas, na verdade, a Dom fez muuuito mais – e agora compartilha com você, nossa leitora, todo o papo que ela bateu com a musa dos tutoriais da internet. materia buchicho julia petit domitila andrade 2

Diga oi pra Domitila!

PenteadeiraAmarela-Assinatura-Alinne-2

julia petit

Entre as gravações e alguma reunião, Julia Petit deu a entrevista por telefone e, logo no primeiro contato, quebrou o gelo. A conversa fluiu  e, o que era para ser uma entrevista rapidinha para um bate-pronto rendeu boas dicas de maquiagem, histórias de infância (ela fazia tricô!) e algumas risadas. Confere para ver que a ruiva é mesmo essa simpatia toda que a gente vê em suas centenas de vídeos.

Buchicho – Nos teus tutoriais e no Vamos Combinar, tudo parece bem fácil, mas, na verdade requer algumas técnicas. Quais as principais dicas para alguém que quer acertar a mão no make, mas não tem tanta habilidade?

Julia Petit – O principal é tentar começar devagar, não tentar muita coisa de uma vez. O melhor jeito de começar é escolher a maquiagem que você queira aprender e treinar até ficar muito boa. Treinar um olho que você goste e que seja prático, um estilo de esfumar, passar uma sombra, um rímel. Ir evoluindo e aí passa para o próximo.

O que vejo muito são as pessoas querendo fazer várias coisas de uma vez, sem dominar uma técnica ainda. É mais legal um rímel bem passado do várias técnicas de sombra ruins. Aí depois dá pra ir variando.

Maquiagem, como qualquer outra coisa que exija habilidades manuais, precisa de treino. É como aprender a fazer tricô. Eu quando era menina que comecei a fazer tricô, só fazia um tipo de ponto e aí só fazia cachecol, depois é que comecei a fazer gola, sanfona, outros pontos. Maquiagem é a mesma coisa.

julia petit base aliada

Buchicho – Quais os vilões da boa maquiagem?

Julia – É quando as pessoas usam produto demais de uma vez. A mulher brasileira está descobrindo a base, o fazer a pele, mas o que mais vejo muito é gente usando base demais. Brasileira, por causa da umidade, passa base, corretivo e sela com pó e sai no sol, e a maquiagem craquela inteira (risos). É melhor usar uma base mais pigmentada com uma camada superfininha, do que muito produto de uma vez.

Buchicho – Você segue uma rotina diária de cuidados com a pele?

Julia – Desde menina, foi uma coisa que minha mãe me ensinou. Não eram trabalhos grandes de modelo, mas eu fazia umas coisas pequenas, e, quando eu chegava em casa, minha mãe me mandava tirar a maquiagem.

Essa pequena rotina que é limpar o rosto, lavar, passar um adstringente se tem a pele mista e oleosa e depois hidratar já vai ser muito útil. Às vezes, a preparação da pele é mais importante que a maquiagem, porque o hábito faz da pele saudável, e você não precisa pesar tanto na maquiagem, uma maquiagem mais natural já resolve. A base dura mais, a sombra dura mais… tudo vai ficar melhor.

bases aliadas julia petit

Buchicho – O que, pelos milhares de comentários dos teus vídeos, você nota que é a principal dificuldade das leitoras? E você tem algum truquinho pra ajudá-las a driblar?

Julia – Elas estão nesse momento da (preparação da) pele. Eu tenho 400 vídeos de maquiagem, e o que elas me pediram foi para fazer teste de base. Pele exige um produto mais caro, é onde você vai gastar, onde você deve investir no melhor que você consegue dentro do seu orçamento.

Acho que você tem de primeiro ver qual que é a tua possibilidade dentro do orçamento. Então você vai numa loja, passa a base e sai da loja com a base, experimenta no rosto, não tem que ter timidez dos vendedores, testa em várias luzes, vê se dura, se tem uma textura que você gosta. Se não, vai lá e experimenta a base das amigas, eu faço isso direto.

Para comprar base não precisa ter pressa, porque até as baratas são caras e, se você comprar e não gostar, vai ficar o frasquinho lá encalhado sem uso. A dica é ter uma base boa e bem pigmentada e, quando precisar de uma pele mais natural, mistura com hidratante. Você tem uma base mais versátil, porque transformar uma base leve em pigmentada é difícil.

Outra coisa é entender a própria pele, saber se é seca, oleosa, mista e saber o que precisa pra prepará-la. Escolher o tratamento que cabe no bolso e que serve pro seu rosto. Eu, por exemplo, uso várias coisas de farmácia que não são caras, você tem de saber o que funciona pra sua pele.

julia petit unhas

Buchicho – Qual tem sido o teu xodó de produtinho de maquiagem ultimamente?

Julia – Eu tenho umas sombras que eu gosto muito, e rímel eu uso até acabar. Mas pros vídeo eu me obrigo a variar, porque senão fica chato. Agora, tem um blush que tá na minha nécessaire desde o verão junto com um corretivo que vem com minipozinho e um batom vermelho, que é um blush cremoso da MAC, que serve também como batom, que eu uso sempre.

Buchicho – Qual a sua aposta de hit de maquiagem, algo que todo mundo vai usar?

Julia – Eu tenho visto nas coleções batom roxo, não aquele batom roxo que a gente que é véia chama de Boka Loka (risos), é um violeta. Eu acho que é esse violeta, que não é todo mundo que fica bem, e um pink avermelhado, não o pink chiclete – teve um tempo que era um rosa bem chiclete -, o de agora é mais pro vermelho, bem vivo.

PenteadeiraAmarela-Assinatura-Simples-Domitila

 

3 comentários

Deixe um comentário