Intercâmbio: Vancouver, uma cidade sensacional!


2
1300

intercambio vancouver dicas

O post de hoje é um pouquinho diferente. Não sou eu que vou contar a história, mas sim nossa ex-intercambista Lívia Cabral, que, em setembro do ano passado passou 30 dias com o marido fazendo um intercâmbio em Vancouver. Ela se encantou pelo Canadá e conta tudo para deixar você também com vontade de conhecer.

livia hi bonjour intercambio

Vancouver é sensacional! Eu e meu marido voltamos no início de outubro de 2014 e sofremos com o que apelidei como DPV – Depressão Pós-Vancouver! Um mês vivendo lá, e a cidade nos conquistou, com seu jeito simpático de receber o estrangeiro e pela preocupação em proporcionar qualidade em tudo o que é possível. É muito bonita, e os serviços funcionam bem (e as pessoas idem rs).
Quando embarcamos, tínhamos uma ideia sobre o Canadá e estávamos ansiosos para ver com os próprios olhos. Foram dias e dias lendo blogs e sites, assistindo a vídeos e conversando (muito) com a Thaís, uma das donas da Hi-Bonjour, para ajeitar todo o nosso projeto de intercâmbio. E quando desembarcamos com todas essas informações na cabeça, não tínhamos noção do que estava nos aguardando. Aquele era apenas o começo da história que tornou a cidade tão especial para nós.

vancouver

Nosso curso de Inglês foi preparado pela Hi-Bonjour e ficava em Downtown, sendo acessível, independente de onde estiver morando. As aulas são boas e planejadas, você aprende em um clima amistoso e animado. A estrutura da escola é muito boa, com computadores, wi-fi, cantina para lanche e almoço, além do refeitório com micro-ondas e geladeira. Fica uma dica: a cantina serve almoço para os alunos – o preço é bom e os pratos são feitos por um brasileiro! A única questão é que o chef entrou no ritmo vancouriano e acrescenta algumas pitadas de pimenta em certos pratos.

No segundo dia de aula, os novos alunos ficam sabendo em qual turma estão, dependendo da avaliação do Inglês, feita no primeiro dia de aula. Foi uma classe desafiadora porque não tem para onde correr – é falar, falar e falar. O objetivo é enfrentar situações não habituais de comunicação, como desenvolver e participar de um debate e dar aula para outra turma. Pode dar frio na barriga no início mas, com o passar dos dias, dá uma dose extra de confiança para se expressar. Por mais que a gente saiba e goste de falar a língua inglesa, é um desafio pensar e se comunicar sem usar o Português. É algo que o intercambista sente na pele! E como não se está sozinho nesse barco… as turmas são uma mistura de nacionalidades, diferentes formas de agir e cada um tem uma pronúncia típica do país de origem. Essa troca é um dos melhores pontos do intercâmbio!!

stanley-park-totem-poles

Saindo agora dos estudos e pensando em turistar, indicamos o Stanley Park e a Kitsilano Beach. São os nossos queridinhos do roteiro! Os dois lugares são lindos, com muita natureza, ideais pra descansar e praticar esporte. As areias de Kitsilano, por exemplo, contam com diversas redes de vôlei. E em ambos, as pistas de corrida e para pedalar são ótimas! Aliás, bicicleta e Vancouver combinam 100%. Faz parte da cultura local e tem ciclovia aonde quer que se vá. Com um detalhe: pedestres e motoristas respeitam os ciclistas, todos convivem muito bem, obrigada. Não há engarrafamento e o trânsito é pacifico. Os limites de velocidade são considerados e qualquer um pode se sentir seguro ao atravessar a rua na faixa de pedestres.

Kitsilano Beach vancouver

Já a comida merece dois parágrafos! Por ser multicultural, Vancouver oferece um grande cardápio de culinárias: japonesa (vencedora), chinesa, tailandesa, vietnamita, italiana, etíope, indiana, grega e por aí vai. E também não espere encontrar lugares para almoçar – fazer uma refeição completa – como temos no Brasil. Eles adotam um estilo fast-food para o almoço e não se vê, até em Downtown, aquele movimento de pessoas saindo das empresas para almoçarem em um restaurante.

O que vai acontecer o tempo todo com você é esbarrar nas lojas do Starbucks e do Tim Hortons – eles dominam esse mercado de amantes de café e afins e estão em cada esquina (e não é exagero!). Se todas as refeições forem na rua, lembre-se desses detalhes. Já alugando um apartamento, como fizemos, a situação muda. Tivemos a chance de cozinhar e de ter uma alimentação mais próxima da que estamos acostumados, em especial no jantar, pois passávamos o dia fora de casa.

Vancouver Skytrain

Somando ao que contei até então, conhecer e aproveitar Vancouver é muito prático. Os ônibus, as linhas de SkyTrain, de metrô e o Seabus te levam a qualquer lugar. Os motoristas são bem treinados, solícitos e sabem dar informação sobre itinerário – seja da linha que dirige ou de outra. O risco de se perder é pequeno, até porque se um canadense percebe que você está com olhar de perdido, eles são prestativos e perguntam se quer ajuda.

Deixo aqui outro toque! Eles usam cartão mensal de transporte. Ou seja, você paga um valor único, determinado pela zona em que está morando, e tem o direito de fazer quantas viagens quiser, seja de ônibus, Skytrain, metro e Seabus. Só preste atenção se for para outra zona. Tenha o passe sempre à mão ao embarcar no ônibus porque precisará mostrá-lo ao motorista como prova de que pagou pela passagem. Nos demais meios não há esse controle direto, mas fiscais podem surgir de repente e pedir para ver o passe. Se não for apresentado, ocorre multa.

Whistler

Fora de Vancouver, vá a Whistler. Fica a duas horas de distância, a estrada é um tapete e o visual é fantástico! Do carro podemos ver montanhas com neve, lagos e rios. Whistler é uma estação de esqui e foi uma das cidades que sediaram os Jogos Olímpicos de Inverno de 2010.

Alugamos um carro e fomos em um final de semana. Visitamos os cinco lagos principais e todos parecem sair de um filme. O canadense curte o lago como se fosse praia! E o centrinho é uma graça, com lojas, restaurantes e pubs. Essa é uma das alternativas de passeio fora da cidade.”

Cada intercambista tem sua experiência, mas, como o relato de Lívia, todos voltam encantados com o Canadá e querem voltar para uma próxima experiência. Nossa indicação é sempre programar e se aventurar nesta nova descoberta, o resultado é uma viagem com lembranças maravilhosas para o resto da vida.

rodape-hibonjour