5 musicais da Broadway que vale a pena assistir

0
62
Imagem: Nova York e Você
Imagem: Nova York e Você

Os musicais sempre fizeram parte da minha vida. O primeiro a que assisti foi o filme de “O Fantasma da Ópera”, e foi a partir dele que as portas desse mundo começaram a se abrir. Comecei a me interessar tanto por peças teatrais musicais como por séries e filmes musicais. Eles mostram lições e, ao mesmo tempo, mantêm o encantamento, além de poder abordar temas de cunho sentimental ou situações cotidianas. Reuni aqui alguns do meus musicais favoritos que passaram pela Broadway. Vamos lá conhecer um pouco mais sobre cada um?! 

Spring Awakening

1

“Spring Awakening” é um musical que fala sobre o despertar da sexualidade na adolescência. Conta a história de dois adolescente que descobrem em si um certo tumulto interior e exterior em relação aos seus desejos. A partitura musical é composta por rock alternativo com toques de folk. A produção original estreou no dia 10 de dezembro de 2006 no Eugene O’Neill Theatre, e o elenco original incluía Jonathan Groff, Lea Michele (que foi também a personagem Rachel Berry na série musical Glee), Skylar Astin e John Gallagher. É possível encontrar algumas gravações do show no YouTube.

The Rocky Horror Picture Show

2

“The Rocky Horror Picture Show” é um musical de comédia/terror britânico de 1975, dirigido por Jim Sharman. O enredo do musical gira em torno de um jovem casal noivo cujo carro quebra durante uma tempestade perto de um castelo, onde eles procuram ajuda. O castelo é ocupado por personagens estranhos com figurinos elaborados que estão a celebrar uma convenção anual. Os dois descobrem que o dono da casa é o cientista maluco Frank-N-Furter, que, na verdade, é um travesti alienígena. Eles começam a ser seduzidos separadamente por Frank.

Uma das versões de The Rocky Horror Picture Show
Uma das versões de The Rocky Horror Picture Show

O figurino do musical é superelaborado e interessante. Os trajes impactaram, diretamente, o desenvolvimento da música e das tendências da moda punk, tais como meias-arrastão rasgadas e cabelo tingido. O musical estreou na Broadway em 10 de março de 1975 e teve adaptações cinematográficas.

Funny Girl

3

“Funny Girl” é um musical que estreou na Broadway em 1964, com roteiro de Isobel Lennart, música de Jule Styne e letras de Bob Merrill. O musical se baseia na vida e no relacionamento verídico da estrela da Broadway, atriz de cinema e comediante Fanny Brice. O musical é ambientado na cidade de New York, antes e depois da Primeira Guerra Mundial, onde Fanny Brice espera o retorno de seu marido Nicky Arnstein da prisão. A história é contada como um flashback. Barbra Streisand estrelou o musical no papel de Fanny. O toque de encantamento fica por conta da trilha sonora primorosa que embala todos os momentos vividos pela protagonista.

Kinky Boots

4

“Kinky Boots” é um musical da Broadway com música e letra da vencedora da Cindy Lauper (rainha, né, mores <3). Baseado no filme de 2005, a produção de Geoff Deane e Tim Firth foi inspirada em fatos reais e conta a história de Charlie Price, que acaba herdando uma fábrica de sapatos do pai. Para tentar salvar o negócio, ele cria uma parceria inesperada com a artista de cabaré e drag queen, Lola. Com a ajuda dela, Charlie desenvolve um plano para produzir uma linha de botas de salto alto (bapho!!!).

No processo, ele e Lola descobrem coisas sobre si e percebem que têm semelhanças. A trilha é maravilhosa, como se pode imaginar, e o figurino dá gosto de se ver. Botas espalhafatosas à la Lady Gaga estão presentes o tempo todo. O musical é, literalmente, um show de bom gosto.

Wicked: A História Não Contada das Bruxas de Oz

5

Obviamente, eu deixei o meu musical favorito de todos os tempos para o final! “Wicked” é baseado no romance de 1995 de Gregory Maguire, Wicked: The Life and Times of the Wicked Witch of the West, uma nova faceta do filme “O Mágico de Oz” e do livro de L. Frank Baum, The Wonderful Wizard of Oz. O musical é contado do ponto de vista das bruxas da Terra de Oz que são supostas vilãs. O enredo começa antes e continua depois da chegada de Dorothy em Oz vinda do Kansas e inclui inúmeras referências ao filme de 1939.

“Wicked” traz uma relação improvável: a amizade entre Elphaba, a Bruxa Malvada do Oeste, e Glinda, a Bruxa Boa do Norte (Bruxa Boa do Sul nos livros de Baum), mesmo com personalidades opostas e diferentes formas de lidar com a vida. O principal ponto do musical é mostrar a história de outra perspectiva e enfatizar que existem sempre os dois lados de uma situação. Na produção que estreou nos teatros da Broadway em 2003, a personagem Elphaba é interpretada por Idina Menzel. O musical ganhou diversas adaptações no mundo todo, inclusive aqui no Brasil.

E vocês, também amam musicais? Já assistiram esses? Vamos conversar nos comentários!

Deixe um comentário