Dicas de como escolher a chapinha amiga do dia a dia

9
491
Crédito: (iStockphoto/Getty Images)
Crédito: (iStockphoto/Getty Images)

Elas já estão há um certo tempo no mercado e sempre fizeram sucesso pela rápida transformação no visual. A chapinha é aquele utensílio que é um grande aliado e realmente não dá pra negar os seus resultados. Mas você conhece a sua história? Ela foi inventada em 1912. Nessa época, duas placas de ferro com uma dobradiça aquecidas alisavam o cabelo.

O uso frequente da chapinha exige (por amor às suas madeixas!) a escolha de uma marca de qualidade. Para isso, é preciso levar em conta algumas questões, do contrário você pode levar para casa algo não tão bom assim, e que não alcance os resultados esperados. Então anota aí o que você precisa observar para escolher a melhor chapinha:

Cabelo

Leve sempre em consideração o seu tipo de cabelo. Se for mais volumoso e/ou enrolado, você precisa de uma chapinha que aqueça mais. Os especialistas sempre recomendam que a temperatura não passe dos 200 graus celsius, para não causar danos. Mas se seus fios forem lisos e finos, nada de ultrapassar a temperatura de 180 graus celsius! Assim, fique sempre atenta ao rótulo do produto.

via GIPHY

Material das placas

Já reparou que algumas chapinhas alisam o cabelo e ele permanece liso por um bom tempo, enquanto outras não conseguem manter o efeito? Isso acontece por causa da qualidade do material das placas, os patins. Muitos dos modelos atuais têm placas revestidas de cerâmica ou feitas de titânio, o que garante uma melhor condição ao cabelo. Assim, atente-se para a espessura. Quanto mais largos, mais indicados para cabelos mais grossos e em maior quantidade. Já espessura mais fina é recomendada para o alisamento de franjas ou de cabelos novos da testa.

Tecnologia

Mais modernas, as chapinhas atuais (quando possuem qualidade) não danificam os fios. Porém, quando começaram a ser fabricadas, muitas eram feitas de alumínio, o que deixava os fios mais quebrados. Dentre as inovações dos produtos atuais está a presença de íons negativos, que ajudam a selar as cutículas dos fios, proporcionando mais hidratação ao cabelo. Outras tecnologias também estão presentes, como Nano, Nano-Titanium (grande condução de calor), Nano-Silver (indicado para cabeleireiros e especialistas) e Nano-Turmalina.

Voltagemchapinha prancha cabelo

Atente-se para a voltagem. Muitas delas são bivolt (funciona tanto em 110v como em 220v). Isso se torna mais prático para uma viagem, por exemplo, eliminando o risco de queimar o aparelho e você ficar sem utilizá-lo.

Dicas anotadas? Assim, você estará levando para casa a melhor chapinha para o seu
cabelo. Não esqueça de ficar atenta também à relação custo-benefício de cada modelo. Não adianta comprar um produto barato que não funcione no seu tipo de cabelo, certo? Se você usa com frequência, por exemplo, vale a pena apostar em uma boa chapinha!

via GIPHY

E vale dizer que o Pintchy apoia todo tipo de beleza, independente dos padrões! O importante é você se sentir bem <3

publipost novo