Canadá: Dúvidas sobre intercâmbio, estudos, trabalho, moradia, alimentação…

68
4132

No último dia 10, completaram-se três meses da minha vinda pra Montreal. Vim com o marido, que tá estudando muito e vai se tornar, em breve, um superprodutor musical (ele tá contanto toda a experiência dele no blog Ficando Surdo). Já fiz um curso de 10 semanas de jornalismo de revista na McGill e, em janeiro, vou fazer outros. Temos melhorado o inglês, desenferrujado o francês, e a experiência é, sem dúvida, única na vida. Eu já contei um pouco aqui e aqui sobre isso.

Muita gente vem me perguntar sobre a vida por aqui, o que tem melhor que o Brasil, se vale a pena investir em um intercâmbio no Canadá, como eu vim parar aqui, como é a questão do visto, da moradia, da alimentação…

Então hoje eu peço licença à minha querida amiga Aline Veloso, que me mandou uma entrevista imensa por email, pra publicar as dúvidas que ela tem sobre intercâmbio, porque deve ser as perguntas que muita gente também tem!

Vai ficar um pouco longo, mas serve como um bom banco de dados pra quaisquer dúvidas que possam surgir durante o processo de cada um.

O que é preciso pra conseguir visto de estudante e de trabalho? 

Estudante: você procura uma escola (de línguas, de formação em algo específico, tipo música ou design ou moda…) ou uma universidade e se candidata a uma vaga. Cada escola pede uma documentação diferente, mas a maioria vai pedir, no mínimo, comprovação de estudo (diplomas), histórico escolar, identidade, tudo traduzido pro inglês ou pro francês.

A tradução tem de ser feita com um tradutor juramentado (os dos Ceará estão listados aqui, com email e telefone), que vai te cobrar tipo R$ 50 a página de tradução. Essa documentação você manda pra escola, e, se ela te aceitar, vai te mandar uma carta-convite pra estudar lá. Se for na província do Quebec (onde eu tô), precisa mandar uma cópia da carta pro governo do Quebec, pra poder receber o CAQ (Certificat d’Acceptation du Québec), que é um documento que é a sua permissão pra estudar no Quebec.

O Quebec já te aceitou, agora falta o Canadá. Aí, com a documentação que você recebeu da escola, da província e mais alguns formulários (tem tudo no site do CSC-VAC), você entra com o seu pedido de visto de estudante canadense. Tudo é feito pelo correio, não tem entrevista (se tiver, é por telefone), muito tranquilo. Tudo isso demora de 3 a 6 meses.

Trabalho: tem dois tipos de visto de trabalho, um que você já precisa ter uma oferta de emprego do país e outro que você pede um open work visa, que é pra vir pro país com a permissão pra trabalhar. Esse último demora mais pra sair, mas sai. Outra forma é aplicar pra imigração permanente, que é um processo que leva uns 2 anos, tem muitas entrevistas, exige um bom nível de francês. Você chega sem emprego, mas o governo dá aulas de francês, cursos de como fazer um currículo, como enriquecer o currículo e como encontrar um emprego.

O governo exige que o estudante entre com alguma quantia fixa de dólar canadense? 

O estudante universitário estrangeiro paga mais caro que o estudante canadense. Nisso já tão inclusas as taxas de educação, que não são baratas, mas são mais baratas que nos Estados Unidos. As universidades (Concordia e McGill são anglófonas; UQAM é francófona) possuem programas de bolsa, e até algumas escolas também, mas para estudantes de até 25 anos. Cada universidade/escola tem sua dinâmica de pagamento: a cada semestre paga pra estudar, ou paga tudo de uma vez ou vai nas mensalidades. Aqui rolam empréstimos estudantis, que é o que a maioria dos canadenses faz. As escolas também são abertas a organizar esse pagamento com o aluno.

É fácil achar casa ou apartamento? É caro? E o transporte?

A melhor coisa que tem é morar no centro, Downtown, porque é lá que ficam as universidades, o comércio, os bares, as casas de show. Mas também é mais caro morar lá. Eu moro no bairro de LaSalle, que é bem grande. Ele tem 3 estações de metrô, e eu moro a 20 minutos de ônibus de uma delas, a Angrignon. Isso signifca que, pra chegar ao centro, eu gasto entre 40 minutos e 1 hora de ônibus+metrô. O bom é que é tudo interligado. Você compra um cartão de transporte (Opus Card) e todo mês carrega com CAN$ 75. Com ele você pega quantos ônibus e metrôs quiser durante o mês inteiro. A passagem unitária é de CAN $ 3, e ela dura 1 hora e meia. Ou seja, dá pra pegar o ônibus e, quando chegar na estação, entrar no metrô com a mesma passagem.

Os apartamentos na região do centro são, na maioria, studios, que é basicamente um cômodo onde fica quarto + sala + cozinha, uma kitinete. O aluguel sai por uns 650 dólares em média. À medida que o tamanho do apartamento vai aumentando, aumenta o preço. Eles dão nomes aos apartamentos pelo tamanho. O studio também é chamado de 1 e 1/2 (o meio é o banheiro).

O 2 e 1/2 tem dois cômodos, quarto e sala + cozinha; o 3 e 1/2 tem quarto, sala e cozinha separados, três cômodos; o 4 e 1/2 tem quatro cômodos, sendo dois quartos, sala, cozinha separada e banheiro. Sim, é comum as casas só terem um banheiro. Como moro mais afastada do centro, pago 650 dólares em um 4 e 1/2, que é o preço de um studio em downtown.

É fácil achar um lugar pra morar desde que você chegue em junho. Dia 1 de julho é o dia oficial da mudança em Montreal. Todos os contratos acabam e começam nessa data. A gente deu sorte porque veio pra uma homestay (casa de família que recebe intercambistas) indicada por uma amiga, e o casal tinha um apartamento vizinho pra alugar. Eles ofereceram pra gente tb a internet deles e a TV a cabo, então não tivemos como resistir!

Também é comum a galera sublocar os espaços ou transferir o contrato pra outra pessoa em outras épocas do ano.

Alimentação aí sai caro?

Alimentação não é barata. Quer dizer, tem coisas caras e coisas baratas. Ovo é caro. Pago 3,50 dólares em uma dúzia, às vezes um pouco menos, porque, toda quinta-feira os supermercados lançam promoções, então dá pra ir em cada lugar e comprar o que tá mais barato naquele lugar.

Água é muito barato, mas também dá pra tomar da torneira. Carne é mais ou menos caro, e frango custa mais ou menos a mesma coisa que carne. Mas sempre dá pra pegar promoções. Semana passada comprei 1kg de sobrecoxas já temperadas e empanadas pra fazer no forno por 3 dólares. 1 kg de camarão é 10 dólares, 1 kg de bife de chorizo é 10 dólares… A gente vai comprando de acordo com o que tá mais barato naquela semana.

Que tipos de emprego os brasileiros conseguem aí?

Conheci uns brasileiros aqui que têm histórias diferentes: um cara da computação que trabalhava com videogames imigrou e conseguiu emprego na Electronic Arts e hoje tá na Ubisoft; um cara que é engenheiro, imigrou e trabalha como engenheiro nas obras da cidade; uma terapeuta ocupacional que imigrou e trabalha na área dela; uma arquiteta que veio pra cá porque não queria ser arquiteta e trabalha em uma empresa de telefonia.

A verdade é que, uma vez que você tá aqui, com visto de trabalho certinho, não tem diferença. Tem muito imigrante, a cidade é multicultural mesmo. E, como todo mundo ganha bem, o costume da galera aqui nem é muito se formar e trabalhar na área. É de se formar porque é legal ou fazer um curso profissionalizante e ter um emprego qualquer, porque dá pra viver com tranquilidade.

Você sempre quis ir pra Montreal? Por que não Toronto?

O que eu sempre li foi que Toronto era a Nova York do Canadá e que Montreal era a Paris do Canadá. Eu não conheço Toronto, mas conheço Nova York e Paris e posso dizer que Montreal tem muito das duas cidades, na verdade. Em Toronto só se fala inglês, tem muitos prédios altos e aquele ritmo de metrópole. Montreal tem poucos arranha-céus, fala francês e inglês, é cheia de parques e muito charmosa. Decidimos por Montreal porque o Igor veio estudar produção musical, e, se você procura uma cidade artisticamente interessante, ela é Montreal. Na turma dele, tem gente de Ottawa, de Calgary e de fora também, como do México, da Jamaica… Todo mundo vem pra cá porque aqui é o centro cultural mesmo.

Quais os contras de morar no Canadá?

O que eu tenho sentido mais dificuldade é com a língua. Porque a galera fala um francês com sotaque diferente e muito rápido, e o inglês também é muito rápido. Mesmo já tendo viajado, tendo estudado inglês a vida inteira, é na rua que a gente percebe que toda a gramática que a gente aprendeu não importa muito. A maior parte das pessoas é bilíngue, mas tem áreas da cidade, principalmente as mais afastadas do centro, que são totalmente francófonas. Fui num mercado de pulgas semana passada querendo falar inglês, e a galera pedia o francês. Aí tinha que rolar, né?

Não ter carro é uma coisa muito massa, porque o transporte funciona. Você baixa o aplicativo da empresa de transporte, que é a STM, e tem todos os horários de todos os ônibus e metrôs da cidade. A STM atende até pouco depois da meia-noite, mas a cidade é tão acostumada com o serviço de metrô que até os shows e as festas começam cedo, pra poder terminar a tempo de todo mundo pegar o metrô de volta pra casa. E tem as baladas que vão até de manhã, pra pessoa ficar esperando o sol nascer pra pegar o metrô também.

É muito prático, mas, às vezes, não ter carro faz falta. O metrô cobre bem a cidade, mas muita coisa só é atendida por ônibus. Aí a gente se perde, a gente anda muuuuuitoo e acaba perdendo um dia inteiro. Por outro lado, gente só conhece a cidade mesmo andando, né? E aqui é tudo bem plano, rola demais caminhar pra todo lugar. Rola também bicicleta. Tem ciclovia por quase toda a cidade, e eu só não comprei bike ainda porque o inverno tá chega não chega, e não vai rolar andar de bike no gelo (tem gente que anda, mas eu sou ótima pra cair). Mas é só chegar a primavera que eu compro uma.

O que é preciso pra conseguir morar “em definitivo”?

Como eu adiantei ali em cima, é um processo de uns 2 anos pra conseguir fazer a imigração. Tem que saber francês pra conseguir encarar uma entrevista em francês. E tem um sistema de pontos que você vai acumulando pra ser aprovado ou não. Se tem até 25 anos, ganha tantos pontos. Se tem entre 25 e 30, menos pontos. Se tiver formação universitária, mais pontos. Se for casado, mais pontos. Se tiver filhos, mais pontos. Se fala as duas línguas, mais pontos. Mas não desanimem achando que só vem família, porque não é assim! Todo mundo que a gente conhece que imigrou veio pra cá solteiro!

No site Imigração Canadá tem um teste desses pra você fazer e descobrir qual é a sua pontuação. Aí eles aconselham a pessoa a entrar com o processo quando ela atingir uma pontuação X. Se você não tem ainda, você tem tempo pra conseguir os pontos, tipo ir melhorando as línguas.

Se eu entrar como estudante, posso dar entrada no visto de imigração? Mesmo morando no Canadá como estudante eu posso concorrer à imigração?

Se entrar como estudante, com seis meses já pode mudar o status do visto pra trabalho, mesmo que não tenha emprego ainda. Você se coloca à disposição pra trabalhar oficialmente. Com três meses, você já tem direito à carteirinha da saúde do Canadá, o Medicare, como todos os cidadãos canadenses possuem. A saúde é pública e funciona! Com dois anos trabalhando aqui, pode dar entrada no pedido de imigração, mas agora vai mudar pra apenas 1 ano (tem um post no Canadá pra Brasileiros justamente sobre as novidades no processo de imigração, que vai ficar mais fácil).

O que faz do Canadá um lugar melhor que o Brasil? E o que no Brasil é melhor? Do que tu sente falta?

Se não fosse pelas pessoas e pela minha carreira, não voltaria pro Brasil. É muito legal morar num lugar que tem as quatro estações, que muda o tempo todo, que tem sempre shows legais e eventos grátis. Com o incentivo à imigração que rolou há uns anos, Montreal é uma cidade que tem muita gente jovem e criativa, além de ser um lugar muito seguro e familiar. Em qualidade de vida, é muito à frente do Brasil.

Mas claro que o Brasil tem suas vantagens, desde as econômicas, como poder parcelar as compras (isso tá chegando aqui agora, e é preciso ter um histórico de crédito de dois anos pra poder comprar parcelado), nos serviços de internet (quase toda internet rápida é ilimitada no Brasil, mas aqui você paga pelo tráfego, o que pode aumentar muito sua conta se você baixa muita coisa ou usa muito o streaming – Netflix aqui tá sendo supercontrolado) e de telefonia (aqui a gente paga até pra receber mensagens de texto. Claro que depende do plano, mas é um absurdo isso!) e nas questões interpessoais mesmo.

As pessoas são muuuito simpáticas, adoram conversar com você em todo lugar, mas elas têm uma cultura diferente da sua, hábitos diferentes dos seus, desde hábitos alimentares até a questão do toque. Elas são receptivas, dão dois beijinhos, mas é difícil ver um casal canadense de mãos dadas na rua ou se beijando. Quando tem gente se beijando pode crer que é estrangeiro.

Senti muita falta da comida brasileira assim que cheguei, porque a comida é a nossa casa. Aqui não tem pão carioquinha, mas tem baguete quentinha no supermercado. E, com o tempo, a gente foi descobrindo lugares que vendem produtos brasileiros. Aqui a gente faz farofa, tapioca, cuscuz, compra macaxeira… E o bairro mais legal, que é o Plâteau Mont-Royal (é o bairro descolado, que tem pubs, lugares alternativos de show, de festa, de rock, de moda), é também conhecido como o bairro português, que tem vários mercadinhos e restaurantes portugueses. E português e brasileiro, fora de Portugal e do Brasil, é tudo a mesma coisa. Tá em casa.

E o frio? A gente vive em 30 graus, como dá pra aguentar tanto frio?

É incrível como o corpo se acostuma. A gente chegou aqui no comecinho do outono, ainda fazendo 25 graus, no dia 10 de setembro. Botava casaquinho bem leve, só pro caso de uma mudança repentina de temperatura, mas morria de calor. Em outubro, a temperatura começou a cair aos poucos. 19 graus, 18. Com 13 eu já tava sofrendo em casa (moramos do lado do rio St. Laurent, uma vista linda e um vento imenso!), mesmo com tudo fechado. Quando dava 7 graus e, dias depois, voltava pros 12, eu percebia que 12 era de boa. E assim tá sendo à medida que a temperatura cai.

Semana passada amanheceu -19 um dia, mas a gente nem percebeu. Ligamos o aquecimento quando as temperaturas começaram a ficar entre 2 e -2, e aí é de boa mesmo. A gente fica de calça de flanela, casaquinho e meia em casa. Mas ontem, por exemplo, fez -10, mas com um sol lindo. Se agasalhando bem, é de boa andar na rua. Todas as paradas são uma cabinezinha fechada, pra ninguém ficar ao relento, e todos os lugares têm aquecimento. Saiu do frio, entrou no calor. Saiu do calor, até acha bom entrar no frio, porque, de casaco no quente, já viu, né? hehehe

Já começou a nevar, e é muito legal quando neva. Tem menos vento, e, apesar de ter gelo caindo do céu, os dias são mais quentes. O dia de -19 foi logo depois de um dia inteiro nevando. Parou de nevar, caiu a temperatura de uma vez. Mas é massa sair na neve, que é uma chuva que não molha. Só tem que ter cuidado com a neve no chão, que, quando começa a derreter, é ótima pra escorregar! hehe

♥ ♥ ♥

Gostaram? Se tiverem mais dúvidas, curiosidades, perguntas, correções, é só deixar um comentário que eu respondo com prazer!

♥ ♥ ♥

Respondendo o comentário do Lucas:

Oi, Lucas! Que massa que você tá vindo passar uns dias em Montreal! É muito massa!

Vou começar as dicas pelo Vieux Port, o porto velho, que fica na Old Montreal. O visual é lindo, e você pode caminhar pela Promenade des Artistes, um calçadão grande e bonito. É lá que ficam o Cirque du Soleil, a Biosfera, o museu de ciências e um rinque de patinação. É uma área boêmia, com restaurantes, bares (tudo meio caro) e a festa de réveillon tradicional da cidade. O acesso é pelo metrô Champ-de-Mars. Pelo metrô Place D’Armes você também chega e, de quebra, vê o Palais de Congrès, a entrada de Chinatown e, na rua Notre Dame, a basílica de Notre Dame.

Outro lugar legal que fica perto é o Quartier des Spectacles, que você acessa pelo metrô Place des Arts. A estação é linda, tem umas instalações de arte, projeções, e isso vai pro meio da rua também. Lá tem teatros, museus, e a saída da estação é na rua St. Catherine, outro dos lugares mais importantes de Montreal.

Nessa altura, a St. Catherine tem restaurantes e bares. Na altura dos metrôs Peel e McGill, ela tem mais lojas (tipo Apple Store e Louis Vuitton), na do Guy-Concordia, ela volta a ter bares. Tem karaokê, sinuca, boliche, fliperama… Andando um pouco pro lado esquerdo (supondo que você saiu da estação e está de frente pra St. Catherine), você cruza com a rua Crescent, que é só de pubs, boates e vida noturna. Não sei indicar nenhum lugar em específico, porque não gosto muito desse clima.

Prefiro o Mont-Royal, que é a vizinhança portuguesa de Montreal. Lá tem uma praça em homenagem a Portugal, bancos com poemas de Eça de Queiroz e três ruas sensacionais: a Mont-Royal, que é a da estação, cheia de livrarias, sebos, lojas de discos novos e usados, moda autoral, fotografia e coisas hipster em geral; a St. Dennis, que tem várias lojas legais também, tipo Urban Outfitters, lanchonetes e dois bares indies, o Quais de Brumes, que tem show, e o Rockette, que tem balcão e discotecagem; e a St. Laurent, que tem tudo isso (o Divan Orange tem shows) e comércios bizarros e lojas de instrumentos musicais.

Por fim, tem o metrô Viau, que dá direto no Estádio Olímpico. No complexo do estádio tem a Torre de Montreal, que é um observatório que você sobe de bondinho, tem o Biodôme, que tipo um zoológico, e o Jardim Botânico, que é supergrande e tem, além de Jardins Japonês e Chinês, um Insectarium. Não sei como fica no inverno, mas eu fui no outono e gostei!

♥ ♥ ♥

Oba, mais perguntas! Agora da Carol, que deixou comentário:

Não falo francês e o meu intuito é aprender o inglês. Você acha Montreal uma boa opção?

Tenho duas amigas que vieram antes de mim pra Montreal pra estudar inglês. Tem muito intercambista que vem pra estudar a língua, mesmo sem saber nada de francês. O idioma predominante nos ônibus e nos metrôs é o francês. Mas, andando pelo centro da cidade, ouve-se muito mais inglês do que francês. Na TV, tem os canais em inglês e os canais em francês. Assim também com as revistas, os livros, as rádios, as escolas… Em qualquer lugar (a não ser nos mais bizarros, tipo um mercado de pulgas beeeem longe do centro), as pessoas dizem “Bonjour, hi”, e acompanham você no idioma que você responder. Acho que Montreal é muito rica por essa diversidade!

Tem muito brasileiro em Montreal? Não quero fazer um investimento tão alto para ficar falando português, pois é natural que isso aconteça.

Dizem que tem muito brasileiro em Montreal, mas eu não convivo com muitos. No meu curso, tinha um cara de Curitiba, mas ele saiu logo. É muito mais fácil esbarrar com brasileiros quando você vai pra uma escola de línguas, mas, pra ser sincera, acho que é assim em muitos lugares do mundo! Talvez em cidades menores ou menos conhecidas tenha menos brasileiros, mas nós somos quase uma peste dominando o mundo. Tenho um amigo que tá morando em Vancouver e, assim que chegou, conheceu dois brasileiros na escola de línguas. Eles dividiam apartamento, mas tinham uma regra: era proibido falar português. Agora ele tá morando com coreanos, aí só rola inglês mesmo. Tudo é questão de se adaptar!

Você acha que nesses três meses deu para melhorar o seu inglês?

Muito! E isso porque eu trabalho pro Brasil pela internet e falo português direto em casa com o marido. Imagina indo pra uma escola e conhecendo gente de outros lugares de mundo! As escolas de línguas sempre têm eventos fora do horário de aula, viagens com a turma, e, como todo mundo tá longe de casa, acaba rolando uma superinteração. Não tem como o seu inglês não desenferrujar, prometo!

 

68 comentários

  1. Oi Alinne! muito legal o seu post, concordo com muita coisa que você disse. Eu to morando em London (Ontario) faz quase 4 meses também e to adorando tudo! Eu e outros amigos vamos pra Montreal passar o reveillon. Estamos chegando dia 27 e vamos embora dia 03 eu acho..queria te perguntar o que voce tem pra recomendar pra gente, de festa, lugares pra visitar, coisa pra fazer e etc…
    É isso, um beijão e aguardo sua resposta!

    • Lucas, tô preparando aqui as dicas e vou responder no post até mais tarde, tá? Comecei a escrever no campo da resposta, mas tava ficando grande demais… heheh

  2. Oi Alinne!
    Tenho vontade de fazer intercâmbio para estudar inglês e o Canadá tem me chamado bastante atenção, especialmente, Montreal. Contudo sei que esse lugar fica em uma região bilingüe e o francês é muito forte. As minhas dúvidas sao as seguintes: não falo francês e o meu intuito é aprender o inglês. Vc acha Montreal uma boa opção? Sei que grande parte das pessoas fala os 2 idiomas, mas qual é o predominante? Nas ruas, por exemplo, qual é usado de maneira expontânea? Como quero estudar inglês, seria interessante que eu pudesse ouvir essa língua naturalmente nas ruas, na tv, ver nos outdoors/revistas…
    Tem muito brasileiro em Montreal? Não quero fazer um investimento tão alto para ficar falando português, pois é natural que isso aconteça.
    Vc acha que nesses três meses deu para melhorar o seu inglês? Penso em passar esse mesmo período e nao sei se seria suficiente para o meu inglês enferrujado. Queria dialogar com mais desenvoltura e entender mais facilmente o que é dito.
    Obrigada pela ajuda e disponibilidade! Seu post ficou ótimo 🙂

    • Oi, Carol! Respondi seu comentário atualizando o post. Você tocou em pontos importantíssimos!

      Obrigada pela leitura e tomara que você venha pra Montreal! Beijos

  3. Oi Alinne, tudo bem?
    Nossa, seu post me ajudou absurdamente! Muito obrigada!
    Eu vou viajar em abril com o visto study & work para Montréal por 6 meses, mas o que eu quero mesmo é imigrar. Você sabe como funciona esse procedimento de alterar o visto para Open Work Permit?

    Obrigada!

    • Oi, Camila!
      Como você vai ficar seis meses, acho que, antes de terminar o visto, você já pode aplicar pra open work permit.
      O site da imigração mudou agora no início do ano. Tá tão fácil de localizar tudo agora!
      Dá pra fazer tudo online, até! Preencher formulários, enviar, fazer pagamento… Dá uma olhada lá pra confirmar, mas acho que é tranquilo de trocar, sim! http://www.cic.gc.ca/english/index-can.asp

    • Camila, um amigo foi pra Vancouver com visto de estudo de línguas e agora vai entrar com um pedido pra mudar pra estudo + trabalho que nem o teu, de 3 meses e 3 meses. Quando estiver perto de terminar, ele vai poder aplicar pra uma open work permit, porque ele já vai ter mais de 6 meses de estudo no Canadá. A partir de 6 meses já pode. No teu caso, que já vai estar trabalhando, acho que é a mesma coisa. Tu pode pedir uma extension pro visto na mesma categoria, de estudo + trabalho, e depois aplicar pra uma open work permit, já com mais tempo no país. É o que o meu amigo quer fazer lá pelo lado do Pacífico =)

  4. Legal o post sobre Montreal e adorei os comentários e as dicas sobre a cidade pois estou viajando brevemente para fazer um intercâmbio no Canadá e estou juntando algumas informações sobre a cidade e o país. Além do meu programa de intercâmbio, eu vou tomar um curso de francês em Montreal na Sprachcaffe e também vou aproveitar a minha estadia na cidade para tornar o meu inglês mais fluente. Gostei muito do post, dos comentários e das dicas. Vou seguir algumas destas informações.

  5. Legal o post me tirou muitas duvidas estou com a intensao de ir pro canada no inicio de 2014 fazer um intercanbio de 6 meses, pra quem sabe conseguir uma moradia definitiva.mais eu fiquei com uma duvida tentei procurar em alguns sites de empregos do canada mais nao tive muito exito.no ramo da informatica mais especifico na parte de desenvolvimento para web sites.o mercado de trabalho e grande tem muitas oportunidades no ramo.e com ingles intermediario e frances basico daria para fazer um intercabio de 6 meses para estudar?
    Obrigado adorei seu post…

    • Oi, Wagner! Que bom que você chegou até aqui! Em Montreal, os profissionais que mais são absorvidos são da informática e da saúde em geral. Com certeza você vai se dar bem! Conheço um paraibano que trabalha com jogos que, assim que chegou, entrou logo na divisão de games pra celular da Electronic Arts e hoje trabalha na Ubisoft. Aqui tem escritório da EA Games, da Ubisoft, da Babel, da Gameloft… É bem forte!

      Pra web acho que não deve ser diferente. Pelo que o meu amigo Rodrigo falou, até conta mais na área de informática a sua experiência do que a sua formação. Ou seja, assim que chegar, você provavelmente não vai precisar pedir equivalência de estudos pra fazer o diploma valer, como em outras profissões.

      Com inglês intermediário, você chega bem aqui, porque rapidinho vai desenrolar. O francês básico, se você conseguir falar, rola. Mas também tem vários cursos de conversação, que você faz um teste de nível e entra na turma correta pro que você sabe. Antes de ir pro mercado de trabalho, é bom garantir que a conversa possa acontecer nos dois idiomas. Apesar de, na computação, a galera falar mais inglês, há projetos que são 50% em inglês e 50% em francês, como contou outro amigo nosso da área. Espero ter ajudado!

  6. Eu não sei falar bem inglês… Só o basicão e mesmo assim, travo. Sou tímida, logo, no meu cursinho não falo quase nada. To pensando em fazer intercambio pro Canadá nas ferias passar um mês, vc acha que ale a pena o investimento?

    • Tawany, acho que vale o investimento, sim, principalmente se você aproveitar o mês pra fazer curso intensivo de inglês e ficar em uma homestay, que é a família nativa que recebe estudantes. Dessa forma, você vai estar em contato com a língua o tempo todo e vai perceber uma melhora bem rápida.

      Quanto à timidez, não se preocupe: você vai se ver obrigada a falar! Mesmo que na aula você não fale muito, vai precisar do inglês na rua e em casa. Vai precisar contar como foi o seu dia pra família que estiver te hospedando. Pode ter certeza de que dá certo! =)

  7. Eu não sei falar bem inglês… Só o basicão e mesmo assim, travo. Sou tímida, logo, no meu cursinho não falo quase nada. To pensando em fazer intercambio pro Canadá nas ferias passar um mês, vc acha que vale a pena o investimento? Que dá pra aprender a falar?
    Obrigada pelo post, amei!

    • Diones, o ideal é saber um pouco de inglês ou de francês. Não precisa ser fluente. Principalmente no Canadá, a galera é acostumada a lidar com imigrantes e tem muita paciência, ajuda você na comunicação. Mesmo tendo estudado inglês durante anos na minha vida, vi que é só quando a gente chega no exterior que percebe que não era suficiente. Então, se você quer fazer um intercâmbio pra melhorar a língua, mesmo ela não sendo tão boa, não precisa esperar fazer um supercurso no Brasil e só depois ir pro intercâmbio. Já pode ir logo, que vai dar certo! Beijos

  8. Oi Alinne, fiquei muito interessada e adorei todas as suas dicas. Na verdade sempre quis ir para o Canadá, mas estava esperando terminar a minha graduação em Terapia Ocupacional. O que eu gostaria de saber isto é, se você tiver como me ajudar, é qual foi o procedimento inicial para vcs conseguirem entrar no Canadá e no meu caso que estou querendo ir ara explorar o mercado de trabalho junto ao meu namorado que é engenheiro civil. No nosso caso, falamos bem pouco francês e o básico do inglês, então você sugere algum procedimento antes? Beijos e obrigada!!

    • Oi, Ingrid! Tudo depende de quanto tempo e quanto dinheiro vocês têm pra investir. Pra trabalhar, existem algumas saídas: você pode imigrar para o país (demora uns 2 anos pra sair), pode ser esposa de um estudante (uns 6 meses), pode procurar um intercâmbio de estudo + trabalho (vai depender da agência) ou, como você é da área da saúde, pode procurar um estágio em algum hospital ou clínica. Não sei exatamente como funciona essa última opção, mas um amigo meu é médico e passou várias curtas temporadas em Toronto fazendo estágio em hospitais. 1 mês, 3 meses. Ele veio tanto que aplicou pro visto de residência permanente e foi aceito (mas ele mora mesmo em Fortaleza). No meu caso, meu marido veio estudar por 1 ano, e eu vim como acompanhante, o que me permitiu ter um visto de Open Work Visa. Pra ele entrar na escola que queria, traduziu todos os documentos que a escola pedia, fez uma entrevista por telefone e recebeu uma carta de aceitação. Foi a partir dela que demos entrada nos nossos papéis pra vir.
      Se você tiver muito tempo e muito dinheiro, sugiro que venha fazer um mês de curso intensivo de inglês, assim você conhece o país e aprimora a língua. Estando no país você também consegue visitar hospitais e clínicas pra saber sobre essas oportunidades de estágio. Espero ter ajudado!

  9. Boa noite Aline.

    Sou advogado me me matriculei num curso de ingles CSLI em Vancouver o curso tem duração de 12 semanas para me preparar para o IELTS e pretendo imigrar para o canada com minha familia. Pretendo fazer o teste para fazer um mestrado no Canadá. É muito dificil?
    Estou fazendo o curso pela agencia Cypres daqui do Brasil. O que vc me indica?

    • Oi, Miguel! Infelizmente, não conheço agências nem cursos, mas, se você vai passar 12 semanas em Vancouver e ainda em um curso específico pro IELTS, acho que vai dar tudo certo! Sobre o mestrado eu não sei te informar. Acho que cada instituição e cada província tem seu modus operandi. O certo é que, pelo menos aqui no Quebec, as universidades estão criando versões do próprio site totalmente em português brasileiro, pra prospectar novos alunos. Isso é um sinal de que estamos sendo bem vistos e queridos, né? Boa sorte pra você e sua família!

  10. Oi Aline adorei seus comentários, tiraram bastantes duvidas. Mais ainda tenho outras pois sou marinheiro de primeira viagem, tenho um cunhado que mora na França, estar terminando o doutorado e vai com a família para o canada onde já conseguiu seu visto permanente. Com isto estou querendo investir para ir também mais vou com minha família, tenho dois fiilhos e quero uma qualidade de vida melhor para eles. Sei que existem Tres maneiras para entrar no canada, não pretendo ir como estudante, pretendo conseguir um emprego, sou formado em ADM e tenho Pós em Logística, estou fazendo lcurso de inglês e francês. Então queria saber de vc pra minha área e difícil? quanto e exigido por pessoa cada mes para entrar no canada em dinheiro? Para tirar o visto permanente ou não, precisa já ter o certificado de clonclusao dos curso de idioma? visto sem ser o permanente eles aceitam vc para ir procurar trabalho? Qual visto sai mais rápido? Fico grato se vc puder tirar estas duvidas pra mim .

    • Oi, Rubens!
      Administração e logística são áreas com muita demanda por aqui. Você não vai ter problemas em conseguir um trabalho se tiver também inglês e francês na ponta da língua. A permissão de trabalho no Canadá pode ser temporária ou permanente, aberta ou condicionada a um empregador. A forma mais comum é a permanente, que vem com a residência permanente (imigração). Eu vim com meu marido, que é estudante, e recebi visto de trabalho aberto temporário, condicionado ao tempo do visto dele. Não conheço casos de gente que mora no Brasil, se candidata a um emprego no Canadá e é convidado pela empresa para trabalhar. Essa possibilidade existe, e o visto é ligado ao empregador. Mas é mais fácil de acontecer, por exemplo, com visto de estudo + trabalho, que você tem uns meses pra conseguir o trabalho e, estando no emprego, a chance de a empresa renovar o seu visto é bem boa. Mas, no seu caso, como você quer vir com a família, melhor é ir estudando e fazendo um pé de meia e dar entrada na imigração. O cálculo de dinheiro exigido pra entrar no país é de mil dólares por adulto por mês. Acho que uma criança é meio adulto, hehe. O certificado de conclusão de curso não é necessário. Se alguma categoria de visto exigir uma comprovação, vai ser um certificado de proficiência na língua. Acho que não é pedido, mas você tem de estar apto a responder a entrevista de imigração toda em francês. Não precisa ser perfeito, até porque o governo do Canadá tem programas de inserção dos imigrantes no país, e eles incluem cursos. O visto de estudo + trabalho sai rápido. O meu, de trabalho temporário, saiu em 55 dias, pedi aqui do Canadá mesmo. E a imigração leva uns dois anos.

  11. Oi Aline obrigado pela sua resposta , se possível quero te perguntar mais outra coisa. O visto permanente e facil para tirar? Quais os requisitos que tem que ter ? Demora? O visto de trabalho qual o máximo de tempo que eles dão? Se eu tentar um desses e não conseguir posso tentar o outro? Estou em duvida qual eu vou ter mais facilidade para conseguir pque estou pretendendo ir no ano de 2015 logo após a copa.

    • Rubens, se você pretende vir em 2015, pode fazer o processo de imigração federal. Ele leva dois anos. O site imigrationcanada é bem explicadinho e tem todos os formulários e etapas. Sendo trabalhador qualificado, casado, com filhos e tendo as duas línguas razoáveis, você já é um fortíssimo candidato. Com o processo de imigração, você já tem a permissão automática pra trabalhar, pois vai ser um residente permanente e pode ficar com esse status para sempre. Se quiser, com dois ou três anos de Canadá, pode pedir a cidadania. Sobre tentar um visto antes, eu sou bem sincera: melhor tentar o visto que você sabe que pode conseguir, porque conheço um caso exatamente igual ao meu (esposa de estudante) que teve visto de trabalho negado a primeira vez e, mesmo não havendo nada de errado com o status nem com o pedido, ele foi negado de novo. Ela está esperando agora a reconsideração, mas a impressão que dá é de que os oficiais veem que já teve uma negação antes, então, teoricamente, nada mudou, e a pessoa fica insistindo porque é “espertona”. Parece que eles não olham a papelada de novo, sabe? Foi a única explicação que encontramos pro visto dela não ter saído e o meu sim. Espero ter ajudado =)

  12. Oi alinne, estou pensando em fazer intercambio no canada no inicio do ano que vem, fazer study e work durante 6 meses !!! E pretendo sim, continuar no canada se eu arrumar um trabalho nesses 3 meses de jornada. Vc acha que posso conseguir ?? Sou formado em Adm e tenho 21 anos com ingles intermediário ! Agradeço a oportunidade. vlww

    • Oi, Bruno! Administração é um campo bem forte aqui. Sempre vejo vagas na Craigslist e no Kijiji (dá uma olhada depois!). No entanto, a concorrência também é grande, e leva um tempo até rolar o emprego. Que tal encontrar um programa de study + work um pouco mais longo? Uma amiga vai fazer de 8 meses, 4 pra cada, e acho que esses 2 meses a mais vão fazer a diferença pra ela. No mais, sou muito positiva e acredito que seu inglês vai ficar ótimo em pouquíssimo tempo e que, se você conseguir o emprego, e o seu visto permitir, você vai poder renovar junto ao empregador. Vem, que dá certo! Beijo

  13. Alinne, amei seu post, me esclareceu algumas coisas e me empolgou, estou vendo de ir em julho do ano que vem, para ficar 3 semanas estudando, que é o tempo das minhas férias…no pacote que eu vi está inclusa meia pensão em casa de familia ( café da manhã e jantar) e o curso, 3 semanas é pouco e da para se virar comendo coisas baratas, quanto para alimentação você recomendaria eu levar? E outra dúvida, como toda turista brasileira consumista, estou pensando nos outlets rsrs vale a pena comprar roupa e eletronicos? Esqueci de falar, mas pretendo ficar em Montreal…
    Obrigada pelas dicas!!

    • Oi, Karen! Que legal que te empolguei! hehhe! Comer na rua não é superbarato, então que ótimo que a sua homestay tem café da manhã e jantar. A solução mais barata pro almoço é lanchar. Perto dos metrôs sempre tem pizzarias com fatias de pizza grandes por 2 dólares e promoção com lata de refrigerante por 3, 3 e pouco. Também tem dois metrôs que eu sei que tem uma lanchonete chamada Cocobun, que tem pães, salgados, tudo por 1 dólar e pouco e com jeito de lanche de escola brasileira. Pra croissants, donuts e sanduíches, tem o Tim Hortons, que é um café que tem em toda esquina. O café preto não é bom, lógico (hehehe), mas as comidinhas são legais e baratas. McDonald’s, Burger King e Wendy’s têm suas promoções, mas o lanche, que pede pelo número, é preço de Brasil quando converte, 8 dólares, por aí. Com esse valor você come também pratos de comida chinesa, grega, tailandesa, tem fast food de tudo nas praças de alimentação dos shoppings. O bom é que tudo é muito grande e enche muito a barriga, haha.

      Em Montreal, outlet é fraco. Tem uma loja da Tommy que é muito muito barata, mas não existe o complexo como existe em Nova York ou Miami. De qualquer forma, vale muito a pena comprar roupa nas lojas de fast fashion, tipo H&M, Forever21, Old Navy, Urban Outfitters e até na Gap, que tem sua arara de promoções com descontos superbons. É tudo muito mais barato que no Brasil. Eletrônicos são um pouco mais caros que nos Estados Unidos, e os impostos são bem altos. Mas, mais uma vez, dependendo do que você for comprar, é muito mais barato que no Brasil. Comprei uma câmera de foto profissional pagando metade do que pagaria aí. Mas um iPhone 4s aqui tá saindo uns R$ 200 mais barato do que no Brasil, e aqui não dá pra parcelar. Ou seja, vale a pena comparar e botar na ponta do lápis. Se quiser mais dicas de Montreal, pode perguntar. De repente vira um post, né? Beijo!

  14. Ola Alinne, tudo bem?
    Estou doida para ir morar no Canada. Mas estou com dificuldades em começar o processo e fazer meu planejamento. Sou casada e tenho 2 filhos (3 e 5 anos). Meu marido é engenheiro civil e não fala inglês, eu sou turismóloga e falo ingles,porém sinto que meu ingles não é suficiente para passar no teste de imigração (IELTS).O que você sugere que eu faça? Pensei em ir para estudar ( na parte que o idioma official é o ingles) mas quero estudar e trabalhar tb, meu marido estudar a lingua, e tenho que colocar meus meninos em uma escolar. Mas não sei por onde começar. Que tipo de visto solicito? consigo escolinha para meus meninos? O mais novo terá 4 anos acredito que é o jardim, e meu mais velho terá 6 anos, seria a elementary school certo?Será que consigo escolar sem custo? O que você sugere? Obrigada, Abraços Rosália

    • Oi, Rosalia! Nossa, bem complicado mesmo, porque são muitas questões, e todas elas fogem à minha experiência de visto. As famílias que conheço imigraram para o Quebec. Estudaram francês suficiente pra passar na entrevista. Ao chegar aqui, fizeram aulas de francisação grátis, pra estudar língua e cultura da província. Já entram no pacote a permissão de trabalho e a possibilidade de matricular as crianças (não sei se o ensino é gratuito, desculpa!). Se você pretende aproveitar o inglês e depois imigrar pro Canadá, sugiro que comece aperfeiçoando a língua. Deixe as crianças 1 mês com a família e venha com seu marido pra um curso intensivo. No seu caso, o nível poderia ser até um específico pro IELTS. No do seu marido, um curso com imersão poderia ser bem eficaz, apesar de cansativo. Comece pesquisando com agências ou diretamente com escolas de línguas da cidade onde gostaria de morar. Sei que é difícil ficar um dia longe dos filhos, mas acho que pode ser um bom começo. Na volta pro Brasil, vocês continuam estudando inglês e tocando o processo de imigração. Acredito que essa seja a maneira mais segura de fazer a mudança com a família inteira. Espero ter ajudado!

  15. Entao, gostaria de fazer faculdade fora do meu país de origem (Brasil) e de morar no país em que eu for fazer faculdade, como funciona as faculdades no Canadá?as melhores sao as publicas ou as particulares? Tem que ter carta de referência? É menos burocrático que nos Estados Unidos? Depende muito do historico (tirar só nota acima de 8, 9, 10)?

    Obrigada!!!

    • Oi, Nathália! Infelizmente não sei te explicar como funciona a universidade. Tenho feito cursos, mas todos são de continuing studies, é só se matricular direto e nem precisa de visto de estudante.

      Meu marido tá fazendo uma graduação técnica e precisou de cartas de recomendação. Mandou histórico escolar, mas só pra constar, porque é um curso técnico, e ele já tem graduação. No Canadá valem os anos de estudo, e ele já tinha bem mais do que o necessário pra entrar.

      Mais do que isso eu não sei =(

  16. Olá Alinne! Parabéns pela sua iniciativa!

    Você sabe me dizer como é a área de NUTRIÇÃO em Montreal? Como é aceito pela população em geral, empregabilidade e áreas de atuação?

    Obrigada!!! 🙂

  17. Aline tudo bem tenho uma duvida estou indo pra Toronto agora dia 23 de Agosto e gostaria de saber se posso levar meu celular meu ipad pra manter contato com minha família aqui no Brasil e obrigado .

    • Oi, Dione! Claro que sim! A recomendação é só, se você tiver a nota fiscal, levar com você, pra comprovar, na volta pro Brasil, que ele não foi comprado na viagem. Se não tiver, não tem muito problema, não. O galho poderia acontecer na alfândega brasileira, mas os oficiais são bem treinados pra reconhecer algo que é novo e algo que já está em uso há algum tempo. Às vezes também o aparelho tem o símbolo da Anatel atrás, e isso é mais uma comprovação de que o produto é do Brasil, não do exterior – eles não podem te fazer pagar um imposto de importação se você já pagou quando comprou o aparelho no seu país, né? Boa viagem!

  18. Oi Aline bom dia,

    Eu meu esposo estamos querendo migrar para o Canadá, seja por Quebec ou Manitoba tanto faz…o fato é tenho 2 filhos sendo um bebe e uma de 5 anos…Não aguento mais esse Brasil , já deu o que tinha de dar…já decidimos ir embora ainda este ano, o que vc nos sugere já que o processo de imigração demora um pouquinho? A principio estamos pensando em passar uns 6 meses nos EUA para ele estudar mais Inglês e com já ter dado entrada no processo aqui de migração, para não ter que ficar aqui esperando o que vc acha? Ou será que meu esposo com visto de estudante para o Canadá de 1 ano e ai entrar com o processo de migração já estando ai estudando , no caso meu esposo? Ele é formado em Ciências Contábeis a mais de 10 anos e tem experiência na área a mais de 15 anos, só em uma mesma empresa esta como gerente de contas a 7 anos…o inglês dele é intermediário e não tem francês…Eu iria acompanha-lo pois não tenho graduação…talvez tentaria achar um trabalho informal sei lá e tentar revezar com ele o horário de estudo e ele ficar com as crianças depois da escola para eu trabalhar não sei, o que vc me sugere? Desculpe tantas perguntas mais estamos decididos e precisamos muito saber opiniões de quem esta ai já…

    Obrigada

    • Oi, Gisele! Se vocês ainda estão decidindo entre Quebec e Manitoba, venham pro Quebec. Manitoba tem um inverno mais longo e rigoroso, e não é fácil de se adaptar. Vocês já estão com o processo de imigração rolando, mas podem, sim, vir pra cá com visto de estudante. Tenho um casal de amigos que não aguentava mais esperar e veio estudar enquanto não sai a imigração. Não atrapalha em nada, e é legal pra ir sentindo a vida. Eu adoro os Estados Unidos, mas, em termos de Quebec, acho que seria mais interessante vocês virem pra cá pra estudar francês. Não é difícil encontrar trabalho na área do seu marido, mas o francês tem de ser bom. O governo tem um curso de francização pra quem tá chegando, que ensina língua, cultura, leis, tudo, mas por que esperar até a imigração? Venham logo! =) O seu marido vindo com visto de estudante, você vem como acompanhante e com visto de turista, mas, chegando no Canadá, você pode solicitar o visto de trabalho. Sai em uns 60 dias. Sobre as crianças eu não sei informar, porque não tenho filhos, mas sei que existem garderies particulares e do governo e que, quando se é imigrante, o governo dá uma bolsa por cada filho. E também financia uma parte dos seus estudos pra você entrar no mercado de trabalho. O ano como estudante não vai ser muito fácil, mas acho que é mais barato e amigável do que ir pros EUA. Espero ter ajudado =)

  19. Primeiro Parabéns pelo blog. Estou querendo ir pra montreal fazer um curso de inglês e trabalho em janeiro de 2014, mas ouvir falar que o programa esta pra acabar, você sabe de alguma coisa? Teria alguma escola de línguas que você me indicaria? Você conhece alguma agência de intercâmbio seria?
    Na verdade meu interesse real e imigrar juntamente com meu noivo, então pensei em fazer o curso de língua e depois fazer um curso técnico e nesse período eu me casaria e meu noivo ia tentar visto de trabalho para acompanhante o que você acha?
    Desde já agradeço pela atenção.

    • Mariana, a francisação é feita só por quem é imigrante. Acho que não é pago, pelo contrário, a pessoa recebe pra estudar. =)
      Pra quem não é, o jeito é procurar curso de língua francesa mesmo, e aí tem de vários preços e durações

  20. Oi Aline primeiro parabens pelo post! A minha duvida e vale a pena uma pessoa que nao sabe nada de ingles fazer um intercambio ? A adaptacao e bem mais dificil ?

    • Oi, Suziane! A adaptação na cidade é mais difícil, mas as escolas possuem cursos pra pessoas de todos os níveis. Acho que dá, sim, pra começar do zero! =)

  21. Olá Aline, encontrei teu blog hoje e gostei bastante. Parabéns!

    Aline, tenho uma dúvida, se você puder me dar um help vou ser eternamente agradecido.

    Minha esposa está com os planos de fazer um curso superior no Canadá assim que ela terminar a faculdade aqui no Brasil. A grande questão é que o inglês dela é muito básico para conseguir a pontuação exigida no IELTS pelas faculdades. Estamos com receio que ela não consiga aprender até a data planejada. Vimos que existe a possibilidade da faculdade liberar a carta de aceitação dando um tempo para aprender o idioma no Canadá antes de iniciar os estudos no Canada.

    Você conhece alguma coisa sobre isso?

    Mais uma vez obrigado pela atenção!

    • Oi, Rodrigues! Bem, cada universidade tem um ritmo, assim como cada tipo de seleção tem um ritmo. Especificamente sobre o Canadá, eu não sei. Mas, procurando pra mim, vi que há algumas bolsas brasileiras que já exigem a proficiência na hora de aplicar pra bolsa, mesmo sem ter sido aceito ainda em universidade. Por outro lado, tenho uma amiga que foi estudar na Alemanha e conseguiu entregar tudo, menos a proficiência, pois a própria universidade tinha um curso preparatório pra prova. Aí ela chegou uns meses antes pra estudar e pegar o proficiência e só depois começar o mestrado. Sei que a Concordia tem cursos de língua e cursos preparatórios, mas não sei como funciona a seleção. Só mesmo mergulhando no site ou entrando em contato por email. Geralmente eles são muito solícitos e atendem muito bem os prospective students. =)

  22. Ola
    Adorei as suas dicas, e gostaria de aproveitar para saber o que os canadense gosta do Brasil, pois a minha filha,vai e gostaria de mandar umas lembrancinha,para crianças pequenas e adultos, estou querendo algumas sugestões, uns dizem que adoram sonho de valsa e outros havaianas.

    Agradeço

    • Os chocolates brasileiros e as Havaianas ou até Ipanemas fazem sucesso aqui. Eles gostam também de camisetas do lugar e de coisas regionais. Presenteei um amigo com uma garrafinha de areia, que é bem típica do Nordeste, e ele adorou. Pra outra amiga dei um porta-moeda feito de quenga de coco. Tudo o que é natural eles acham superlegal. Bijuterias de pedras, toalha de mesa de renda ou de linho… Tudo de bom pra sua filha, Cristina!

  23. Olá gostei muito das dicas, gostaria de saber se eu comprar uma casa (não financiada) no Canadá eu consigo visto de residência, tenho nível superior, mas não tenho fluência no idioma e não pretendo voltar mais para Brasil. Será que possuindo um imóvel facilitará ou me permitirá obter visto. Acredito que o único requisito que não tenho é o domínio do inglês e o francês nem se fala, kkkkk…Mas tenho muito interesse em viver neste país.

  24. Alinne bom dia!! Vou para o Canadá em Setembro/13 para Vancouver, devo ficar um mês apenas, fazendo um intercâmbio em Inglês, sei que você está em outro lugar, mas talvez me ajude. Estarei de férias neste período, depois pretendo fazer um intercâmbio para o Francês, será que é melhor ir para França ou alguma cidade do Canadá me basta?? Futuramente gostaria de morar no Canadá, por isso quero também fazer o Francês. E quanto a valores, pretendo levar 2 mil dólares. será que é o suficiente? Agradeço, Parabéns pelo Blog!!

    • Oi, Carina. Se você pretende morar no Canadá, melhor aprender francês no Canadá, pois o sotaque é bem diferente, e as expressões também. Tem muito de inglês no francês falado aqui, e eu ainda apanho bastante pra conseguir compreender o quebecois falando. Sobre o custo, veja a calculadora de custo de vida do Canadá para Brasileiros, pois é muito diferente o custo em Montreal e em Vancouver: http://www.canadaparabrasileiros.com/custo-de-vida/

  25. Adore suas dicas Aline, Parabéns!
    Enviei um email nesta segunda-feira dia 07/10 com algumas dúvidas que tenho, você recebeu?

    Obrigada

    Quais as 10 melhores escolas para estudar inglês?
    Qual é o custo de vida mês ?
    Posso trabalhar ou fazer estágio enquanto estou estudando?
    Quais são as cias aéreas domesticas no Canadá?
    Como vocês conseguem preços melhores que diretamente nas escolas?
    quel melhor opção, (Dinheiro, cartões de credito, Traveler checks)?

    Beijos
    Bruna Ribeiro – brunaribeirosp3@gmail.com

    • Bruna, infelizmente não posso responder suas perguntas. Não vim aqui pra estudar idioma, então não faço ideia das melhores escolas nem o valor. Sobre custo de vida, o Canadá para Brasileiros tem uma calculadora de custo de vida pra Toronto e Vancouver: http://www.canadaparabrasileiros.com/custo-de-vida/.
      Se o curso é de línguas, acho que provavelmente você não tem permissão pra trabalhar. Mas eu só acho, então é bom checar.
      Não conheço as companhias aéreas domésticas. Só viajei de ônibus e trem, porque é muito caro voar no Canadá.
      Não entendi a pergunta dos preços melhores.
      Melhor opção é visa travel money, que você coloca quanto quiser de “crédito” pra ficar depois só debitando. dá pra transferir do banco pra ele e dá pra família depositar dinheiro também. O que talvez não compense é o câmbio, que geralmente é alto. Mas é o mesmo do dinheiro. No cartão de crédito e no saque internacional da conta nacional, a conversão é mais amigável.

  26. Oi Aline!! Eu e meu marido estamos aplicando. Ele conseguiu o contrato de trabalho Aki em Toronto. E eu como casada com ele requeri o work permite open. Minha duvida eh…estando ambos com o work permite. Podemos sair do canada de ferias? E entrar sem problemas? Obrigada e parabéns pela iniciativa

    • Gil, sair pode, mas não há garantia de que vai ser tranquila a entrada de volta, hehe. Só a work permit diz que não garante a entrada. Então vai depender do agente de imigração. Ele pode ser ok, mas também pode implicar. Saia do país, mas leve consigo comprovante de renda, mostrando que tem vínculo com o país e que tem dinheiro pra se sustentar. Papel nunca é demais, e eles podem pedir qualquer coisa. O melhor é levar tudo. Mas tenho certeza de que vai dar certo. =)

  27. Oi Aline, como funciona esse caso das famílias que recebem os imigrantes? Conhece alguém que passou por essa experiência? Será que te deixam a vontade como visitante desconhecido?
    Obrigado.

    • Oi, Elton! Não sei como funciona esse caso que você falou. Seria uma homestay, uma casa de família que aluga quarto? Se for, você pode procurar no site http://www.canadahomestayinternational.com/ ou em outros que listam as famílias. Aí é entrar em contato, fechar período e preço. Normalmente o aluguel do quarto inclui café da manhã e jantar. Na que eu fiquei tinha roupa lavada e internet também. Depende da família a questão da privacidade. Umas são mais fechadas, outras querem te tratar mesmo como filho, incluindo a parte da intromissão. Mas é uma opção prática e econômica, além de você estar em contato com a cultura do país. Espero ter ajudado. =)

  28. Alinne, tenho intenção de ir para Quebec para aprender o francês, só que não sei nada, e me viro bem no inglês, você acha que consigo aprender o francês e aprimorar o inglês? ps: sei que é muito, mas vai que é possível? rsrsrs

    • Oi, Renan! Que dá, dá, mas precisa de muito foco e depende de quanto tempo você vai ficar. Se for só um mês, melhor se focar em aprender e praticar so o francês. Falo por experiência própria: quando a gente quer melhorar o inglês, acaba sem praticar muito o francês. E é meio complicado também ficar trocando de língua o tempo todo. Se você for para Quebec City (Ville de Québec), lá o inglês é bem menos falado. Nem no McDonald’s de uma área bem turística o pessoal fala inglês, hehe. Enfim, tudo depende mesmo do seu esforço e de quanto você precisa/quer aprender das línguas. Com organização, tudo dá certo! =)

  29. Oii Alinne te bom? Estou no Canadá com meu marido… Estou terminando meu doutorado mas tenho bolsa do Brasil, portanto não sou matriculada na universidade aqui… Nos dois temos open work permit por 1 ano (até março 2016) porém o meu eh restrito a faculdade… Meu marido é engenheiro mecânico, mas como o inglês não Ta 100% ainda ele não conseguiu emprego na área ainda, está trabalhando no Tim Hortons….estamos querendo permanecer no Canadá… Já pesquisamos a refeito do residente permanente e estamos juntando a papelada, mas como demora estamos vendo alguma forma de estender nosso visto até sair o permanente… Vc tem alguma dica de como podemos fazer isso?

    • Oi, Erica! Na verdade, não. Algumas regras mudaram desde que eu fui (e voltei) pro Canadá, então não saberia te dizer com certeza. Você pode procurar a Hi Bonjour (tem o link pro site deles aqui na lateral do blog), que é uma agência de intercâmbio e dá assessoria pra todos os tipos de vistos. A Thaís e a Camilla estão sempre atualizadas e são bem solícitas! Beijo e boa sorte! =)

Deixe um comentário