Povos do Mar reúne comunidades litorâneas do Ceará para troca de saberes

0
489
Lustres de camurupim feitos por Berulim - fiquei apaixonada por esses lustres <3
Lustres de camurupim feitos por Berulim – fiquei apaixonada por esses lustres <3

O VII Encontro Sesc Povos do Mar começou nesse domingo (20 de agosto), na Colônia Ecológica Sesc Iparana. Ontem eu fui lá conferir a programação – que é toda gratuita – e participar de algumas oficinas. Pra quem não conhece, o Encontro reúne mais de 170 comunidades do litoral cearense, entre pescadores, tribos indígenas, rendeiras, grupos quilombolas, marisqueiras e mestres da cultura.

penteadeira amarela_povos do mar_terreiro da tradicao
Terreiro da tradição, eixo Cantos, danças e brincadeiras

A ideia é reunir todo esse povo maravilhoso em vivências, rodas de conversa, oficinas e várias outras atividades, construídas e propostas por eles mesmos. Para isso, o evento se divide em cinco eixos, o Dragões do Mar, que estreou nesta edição; Feito à mão; Meio Ambiente e sustentabilidade; Cantos, danças e brincadeiras; e Sabores, saberes e saúde. Foi neste último que eu foquei minha visita ontem, mas claro que como estava lá, aproveitei um pouco de tudo! 😀

Pra começar eu tomei um café na quenga de coco, acompanhado de tapioca, bem tradicional e delicioso!
Pra começar eu tomei um café na quenga de coco, acompanhado de tapioca, bem tradicional e delicioso!

Participei de duas oficinas do eixo Sabores, Saberes e Saúde, na primeira, ministrada pela Maria Cristina, do Trairi, aprendi a fazer um creme de camarão. Além do sabor delicioso do prato final, o que me chamou a atenção foi a informalidade da oficina. Mesmo com toda a estrutura necessária de ingredientes, cozinha equipada e o acompanhamento de três nutricionistas, ela não perdeu aquele quê de conversa.

Creme de camarão
Creme de camarão

O conhecimento era passado como de mãe pra filhos ou amigos, tudo apenas na fala e na ação – não só da Cristina, pois ela colocava todo mundo pra trabalhar!

Cristina (no centro) e as alunas com a mão na massa
Cristina (no centro) e as alunas com a mão na massa

Já na segunda oficina, ministrada pela Zenaide, do Icapuí, aprendemos a fazer arraia ao molho de camarão. Um prato que ela pretende colocar no cardápio da sua barraca de praia, a Barraca do João Velho – seu pai. Esse caso foi diferente, ela levou a mãe e a filha para ajudarem, e os ingredientes já cortadinhos e prontos para o preparo. Aí, só nos passou a receita, e o segredo, que ela usa em tudo que cozinha: “Para fazer comida boa é [preciso] gostar de fazer e fazer com amor!”

O preparo da arraia
O preparo da arraia
Zenaide apresentando o prato terminado
Zenaide apresentando o prato terminado

Dei uma passada no espaço “Onde há rede, há renda”, do eixo Feito à Mão, onde ficavam expositores de artesanato de várias localidades. Com destaque para a Luzia, de Iparana, que tinha uns painéis enormes, incríveis, bordados à mão por ela e por seu marido, o Maurício. Além dos grandes bordados, ela tinha também pequenas almofadas para colocar alfinetes – que eu achei muito fofas – e marcadores de livro de feltro bordados – que não resisti e acabei comprando!

Luzia e um dos painéis bordados à mão por ela
Luzia e um dos painéis bordados à mão por ela
Lustres e abajures de conchas e camurupim
Lustres e abajures de conchas e camurupim
Colar de concha, bem sereioso
Colar de concha, bem sereioso
Caixinhas de conchas, também muito sereiosas
Caixinhas de conchas, também muito sereiosas

Fui conferir também o eixo Meio Ambiente e sustentabilidade, onde além de produtoras locais de óleo de coco, havia uma parte do stand dedicada ao combate do mosquito aedes aegypti – o mosquito da dengue – e outra parte com frutos e sementes que nascem na Colônia Ecológica Sesc Iparana. A colônia tem uma parte de mata atlântica, e por isso muitas espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção crescem por lá. Outro destaque desse eixo era o jardim suspenso, feito com pallets, garrafas pets e sapatos, tudo reciclado.

Óleo de coco artesanal
Óleo de coco artesanal
Sementes da flora da Colônia Ecológica Sesc Iparana
Sementes da flora da Colônia Ecológica Sesc Iparana
Jardim com material reciclado
Jardim com material reciclado

Além desses, o eixo Cantos, danças e brincadeiras se faz presente durante todo o dia, no “Terreiro da tradição”, com apresentações ao vivo de grupos de coco, maracatu, teatro de bonecos, reisados e outras manifestações culturais; também com vídeos desta e de edições anteriores do evento.

Cortejo do Maracatu Vozes da África
Cortejo do Maracatu Vozes da África

O VII Encontro Sesc Povos do Mar termina amanhã, então, se eu fosse você, corria para aproveitar o último dia desse momento tão rico em cultura, a nossa cultura!

SERVIÇO
VII Encontro Sesc Povos do Mar
Local: Colônia Ecológica Sesc Iparana (Colônia Ecológica Sesc Iparana (Av. José de Alencar, 150 – Caucaia)
Período: 20 a 24/8
Horário: 8h às 12h e 13h às 21h

Mais informações e programação completa aqui

 

Deixe um comentário