O que pintou no workshop de customização da Bossa on the Wall

0
265

O sábado de chuva foi salvo pela fofa Thiliê Aragão, da Bossa on the Wall, com seu workshop de customização de tênis: a ideia era dar vida nova ao tênis surrado depois do carnaval. Como fui meio que pego de surpresa (pois quem ia era a Laris, mas ficou dodói e me cedeu a vaga), peguei uma mochila velha de lona que tinha para usar na aula.

Na verdade, a pobre toda surrada, só não tinha ido para o lixo ainda pelo valor sentimental. Essa mochila me acompanha desde a faculdade, tem nela um cadeado que era do meu armário e a chave foi devolvida junto com a chave do apartamento na entrega. Me acompanhou na minha primeira eurotrip, ou seja passamos muitas coisas juntos. Mas vamos ao que interessa, as dicas da Thiliê:

Como customizar?

O mais importante, as canetas:

Para customizar, cada material pede um tipo diferente de caneta.

POSCA: canetas de tinta pigmentada à base de água, que geralmente são utilizadas em materiais sem tanta absorção, como paredes ou materiais impermeáveis. Contudo, por ser à base de água, sai com lavagens. Geralmente, ao terminar o trabalho em bolsas de couro ou material sintético, precisa ser impermeabilizada com verniz.

POSCA

LIQUITEX: Canetas de um tipo de tinta acrílica que seca como uma camada de plástico sobre a superfície em que é aplicada. Dá um efeito de brilho bem bacana, fica muito legal em peças de couro ou mesmo tecido ou lona.

LIQUITEX

MOLOTOW: caneta de tinta acrílica à base de álcool que também tem grande absorção em materiais porosos, sendo não recomendada para tecidos ou de alta absorção. A vantagem sobre a POSCA é um pouco mais de resistência a água.

MOLOTOW

UNIPAINT: canetas de tinta à base de óleo para materiais mais porosos, com fácil absorção como lonas e alguns tipos de tecido. O bacana que é resistente a água e altas temperaturas, portanto dá maior durabilidade ao trabalho e foram as que usei na minha mochila.

Unipaint

Detalhe ultraimportante:  NUNCA, JAMAIS, EM TEMPO ALGUM DEIXE SUAS CANETAS DESTAMPADAS, PRINCIPALMENTE A UNIPAINT, POIS A TINTA PODE SECAR E A CANETA FICAR INUTILIZADA. (tomei alguns dois carões da tia porque parava pra conversar com a coleguinha ou pensar no desenvolvimento do desenho e esquecia de tampar a canetinha, mas aprendi para não levar o terceiro!)

A segunda coisa é buscar referências, a internet e o Pinterest são grandes aliados. Padrões geométricos são ótimos para quem não tem experiência e habilidade com desenhos. Eu escolhi uma referência em Paris (pelo aperreio que passei lá com a mochila na viagem), formas geométricas de desenho para os prédios e a torre a base de quadrados com X no meio facilitou desenhar.

Referência que usei (Ilustração do Pinterest)

É importante rascunhar em um papel antes de iniciar o desenho, mas nunca na própria peça para não manchar. Facilita muito delimitar as áreas a serem desenhadas, fitas adesivas são ideais para isso, e peças que já têm delimitações também são muito boas de trabalhar.

E aí é só deixar a criatividade fluir, se entregar ao trabalho e curtir o resultado. Logicamente a prática leva a perfeição.

Algumas curiosidades:

  1. Como todo mundo ficou com medo de se sujar, talvez inconscientemente, fomos todos de preto!
  2. A Quel, nossa saudosa colunista, que acabou ganhando o sorteio e fez o workshop, escolheu um padrão floral para reproduzir. Numa primeira tentativa borrou o desenho e teve que cobrir. Delimitou e usou uma liquitex pink. Achando que tinha feito besteira, foi corrigida pela Thiliê com a frase que valeu o curso:

“Falhas no desenho, traços imprecisos conferem o caráter autoral e valorizam demais a peça!”

3. Thiliê tirou e customizou o próprio tênis e terminou o curso descalça, como no detalhe da foto abaixo.

Depois de muitas tintas, manchas, mãos e unhas borradas, tivemos ótimos resultados, e tudo o que eu vejo já quero customizar.

Ah! antes que eu me esqueça, a Bossa on the Wall sempre tem cursos e workshops desse tipo rolando. Inclusive terá no dia 10 de março um minicurso de String Art (Lettering com pregos e linhas) e fiquem ligados na programação do site deles para novidades, inscrições e pagamentos, que podem ser feitos por lá mesmo, muito fácil!

Mais um detalhe: todas essas fotos maravilhosas são do Nero Pimentel, que “quais cai” subindo nas cadeiras de rodinhas para tirar fotos aéreas!

Deixe um comentário