DFB Festival – dia 3 de moda como expressão, estilistas novos e veteranos dando show

0
157

No terceiro dia de DFB Festival, fomos – muito independentes – sem Laris e com alguns medos, fazer a cobertura. Felizmente o medo acabou se transformando em aprendizados e inspiração, porque teve livro, teve desfile de novos estilistas que arrasaram e estilistas já conhecidos no mercado com inovações e clássicos revisitados.

DF2018-95

Vem com esse trio – e nosso fotógrafo parceiro Henrique Kardozo, que mais uma vez fez nossas fotos e dos desfiles – para ver o que rolou!

Foto: Davi Magalhães
Foto: Davi Magalhães

A Editora Senac e o Dragão Pensando Moda trouxeram Danielle Ferraz, coautora do livro “Moda sob medida: guia prático de moda para a vida real”, para uma noite de autógrafos na sexta-feira. Eu, que já comecei a ler o livro, não pude deixar de garantir meu autógrafo e bater um papinho com Danielle; bem como Marília, que já era fã da moça, por causa do seu quadro no programa “Mais Você”.

O livro promete ajudar a entender a moda como uma forma autêntica de revelar quem somos, mostrando, dessa forma, a elegância verdadeira de cada pessoa.

Nossos livros autografados por Danielle Ferraz
Nossos livros autografados por Danielle Ferraz

Para Danielle, a melhor forma de aprender a se vestir é quando conseguimos primeiro “vestir a alma, a autoestima, e depois levar isso para o exterior”.

Aproveitamos para falar sobre nosso projeto “Oi, esta sou eu” e a forma como a imagem anda distorcida nas redes sociais. Dani (já muito íntimas) apontou para a idealização de uma imagem que não é real e mostrou mais um ponto perigoso nessa questão, “a forma como vamos impactar os adolescentes que ainda não têm uma consciência inteiramente formada”.

A jornalista e consultora de moda assina o livro em parceria com a também jornalista Penha Moraes e participou ainda de uma roda conversa com o público na tarde de sexta.

Conferimos o Concurso dos Novos, a convite da Focus Têxtil, onde desfilaram coleções feitas pelos alunos da Faculdade Ateneu CE, Faculdade Santa Marcelina de SP, IFRN e SENAC/SE. Nossas coleções preferidas foram as da Santa Marcelina, com uma inspiração no Hip Hop, jaquetas oversized, correntes e cores quentes; e a do SENAC/SE, que utilizou malhas que sobraram de confecções e bordados com frases empoderadoras, além de muita cor e acessórios incríveis feitos de botões e outros materiais reciclados. A coleção do SENAC foi a vencedora do concurso, que divulgou o resultado no sábado.

Teve ainda desfile do Kallil Nepomuceno, que trouxe muito rosa, estampas florais e fluidez, além de um queridinho nosso: o veludo, mostrando que ele ainda fica um tempo com a gente, depois da longa temporada de exílio. Amamos as peças e eu particularmente também gostei muito da maquiagem, sombra rosa passando das pálpebras para as têmporas e um pouco das bochechas.

Por último teve ainda desfile do Ivanildo Nunes, com a coleção Cosmos, que teve como inspiração as mandalas. Porém trouxe-as desconstruídas, como apliques de crochê, richelieu, renda de bilro e renascença. A Miss Ceará 2018 Teresa Santos abriu o desfile, e antes da entrada dela o estilista apresentou a equipe de artesãs que o acompanhou na criação e produção de Cosmos.

Deixe um comentário