O fantástico e envolvente mundo do salão Meraki

7
1791
meraki keith penteadeira amarela
Keith. Via: @meraki_fortaleza

“Fazer algo com alma, criatividade ou amor. Colocar parte de si em algo que está a fazer”. Segundo “São Google”, esse é o significado da palavra grega Meraki. Coincidência ou não, é isso que a gente sente quando entra no salão Meraki, de Keith e Camila, aqui em Fortaleza. E como a gente é jornalista e ama contar histórias, senta que lá vem uma incrível!

meraki keith salao penteadeira amarela

Keith Harris é irlandês e o cabeleireiro-proprietário do salão. Assim como muita gente é médico ou advogado por influência da família, com Keith a história não foi diferente. Avó, pai, mãe, tio e irmã também assumem a profissão. “Eu não escolhi, eu fui trabalhando nas férias da escola e, com 16 anos, comecei a ajudar no salão do meu pai, como aprendiz. Foram quatro anos fazendo esse estágio e fui pra Londres”, conta o homem alto, de sotaque carregado e cheio de estilo.

burlesque hair salon keith penteadeira amarela copy
Corte, coloração e penteado realizados no salão Burlesque, UK

Os primeiros empregos foram em salões na Inglaterra e depois na terra natal. E como quem se muda de um quarto para outro, Keith arrumou de novo as malas e voou para a Bélgica, trabalhando “com um cabeleireiro bem descolado. Trabalhei até no salão Burlesque [Reino Unido], bem doido, que tem uma temática de igreja, uma cena de fetiche, ‘sadomasô’, foi muito louco, mas gostei”, ele relata. Malas feitas novamente, chegou a vez de Portugal conhecer o seu “superpoder”, já em um salão próprio, o WIP – Work in Progress, onde funcionavam também loja de roupa e bar (e ainda existe, sob a direção do seu ex-sócio). “Bombou!”, ele conta. Por sete anos, o trabalho de Keith também foi voltado para o cinema e desfiles de moda.

No retorno para casa, mesma profissão, mesma companhia (o pai) e um novo ofício: cortar perucas e “fazer a manuteção” de perucas para mulheres com alopecia ou em tratamento de quimioterapia, “ajudando-as nessa batalha.” Aí a saudade do filho apertou e ele desembarcou aqui em Fortaleza, em novembro de 2010. “Rapidinho eu passei a cortar cabelo no Salão das Ilusões, nas festas, fazendo o cabelo da galera. Fiz cortes bem loucos, era quase uma instalação, uma intervenção artística. Até hoje tenho clientes dessa época.”

keith ida axenstedt almoco de amigas penteadeira amarela
Keith e Ida (via blog Almoço de Amigas)

O primeiro emprego em um salão de verdade foi no da cabeleireira sueca Ida Axenstedt. Em paralelo, mantinha, ainda dentro de casa, no condomínio Residencial Iracema (também chamado de Melrose), a primeira “sede” do Meraki, que nasceu a partir do evento “Haircuts in my garden“, onde ele cortava os cabelos enquanto artistas expunham produtos de design autoral – evento que o casal viu que trabalhavam bem juntos! Seus clientes eram atendidos no turno da noite e em feriados. O espaço foi ficando pequeno e o filho sugeriu a abertura do próprio salão.

meraki keith camila salao penteadeira amarela
O primeiro Meraki, na sala de casa!

Estilo e assinatura

Pelas fotos, já deu para perceber que o Keith se garante no que faz, né? Ele define seu estilo como “meio alternativo, casual, rock and roll, 60s geométrico, é uma combinação de tudo isso. Tem meses que fico na onda de supergeométrico, tem meses que fico muito nos anos 80. Depende do mood, do que estou vendo nas minhas pesquisas. O estilo dos cortes é um reflexo dessas pesquisas na arquitetura, na arte, nos anos 60, 70, 80 e o que vejo na rua. Meu estilo é muito diverso, mas tem várias épocas.” Independente de tudo, ele prima pelo “always beautiful”, como diz.

keith meraki salão fortaleza penteadeira amarela
Keith em ação, já no Meraki

Keith segue em uma constante busca por refinamento técnico, sempre com muitos estudos. “Ano que vem vou pra Califórnia a convite do Zgat [academia de cortes e tintura de cabelos], cinco dias criativos para refinar a técnica. Tenho alguns mentores que me dão aula online via Skype também”, se orgulha. Em paralelo, faz questão de compartilhar seus conhecimentos, dando aulas duas vezes por semana. “Nosso objetivo é de nos conectar mais com nossos clientes, com a personalidade de cada um. Sempre temos coisas para aprender. A gente gosta muito dessa busca, não de necessariamente coisas novas, mas de estudar, refinar a base”, diz.

Misturando arte, design, arquitetura, moda e natureza, o Meraki deseja ampliar o universo do cabeleireiro em Fortaleza e envolver o cliente nesse ambiente, tornando-se ainda mais disposto a mudar e a conhecer novas referências. E, com tanto, ele revela: “o meu corte favorito é o chanel. É sempre um desafio cortar uma linha reta, simples. É um corte atemporal, com a linha que chega perto dos lábios, bem anos 20. Tenho feito muito, adoro fazer e acho que tenho uma ligação cósmica com esse corte. É muito elegante, mas muito curto. A linha da Chanel é na altura do lábio. Esse e o corte Pixie são os que estou fazendo muito agora.”

Se o céu parecia o limite para o casal, não será mais! É que em 2018, o Meraki ocupará a cobertura do prédio onde o salão está hoje (na rua Pereira Filgueiras, 1931). Um lugar, como eles falam, para escapar da muvuca, “pros clientes chegarem num lugar mais zen, diferente, cheio de plantas, uma vista linda da cidade. Vamos ter um salão no rooftop do nosso prédio e, junto com isso, vamos abrir nossa escola, Meraki Education, e já temos turmas sendo montadas pro ano que vem!”, revela, empolgado.

Meraki + Penteadeira Amarela

Mas se você não quer esperar até o ano que vem para jogar suas madeixas nas mãos de Keith e sua equipe, a gente preparou uma surpresa para quem já quer começar 2018 transformada! O Penteadeira Amarela e o Meraki vão presentear você com um corte especial. Nada de aparar as pontinhas, cortar só a franja ou fazer uma simples escova. Essa é para quem quer mudar de verdade e apostar em um visual moderníssimo e ultracool!

PenteadeiraAmarela_Promocao_Meraki_20171212

Aí você fala: certo, Laris! É meu sonho fazer um pixie, um chanel ou um corte assimétrico! o que eu devo fazer?

E eu digo: É simples! Comente aqui no site porque você deve ganhar essa promoção!

Conte a sua história, sua relação com seu cabelo e porque você PRECISA da mágica do Keith e do Meraki na sua virada do ano.

Vale tudo: uma carta, uma poesia, um depoimento, uma rima, uma foto, um desenho… Qualquer coisa que demonstre a sua vontade de sair uma nova pessoa de lá do Meraki.

P.S.: Seu cabelo pode ser de qualquer tamanho, qualquer cor, mas não pode ter nenhum tipo de alisamento, como escova progressiva, inteligente ou texturização. A promo rola agora em dezembro, e o corte vai ser agendado em janeiro, de acordo com a disponibilidade da ganhadora e do Meraki.

Topa? Então comenta aí!!!

7 comentários

  1. Eu mereço porque são três amores no mesmo bolo: Keith, Penteadeira Amarela e meu próprio cabelo. Amo meus cachos e quero protege-los. E que proteção maior senão entrega-los nas mãos dele? Enquanto ele corta, me atualizo com o Penteadeira. Receita perfeita de sucesso. Bora assar esse bolo? 😍

  2. Não sei se ainda dá tempo de participar, mas não custa nada tentar né? Haha
    Tenho uma história engraçada com o meu cabelo: não tenho pena de mudar. Na verdade, sou movida por isso e a cada 2 semanas aproximadamente já quero mudar de novo! Já tive franja, longo, curto, long bob, cabelo azul, verde, ombré..
    E geralmente o tipo de mudança que mais curto é aquela súbita (no impulso, como boa ariana). Uma vez cortei meu cabelo na varanda de um amigo em Paris ao som de love by Grace (bem laços de familia), uma vez tingi meu cabelo na banheira de uma amiga irlandesa em Londres (olha a ironia), entre outras peripécias.
    Tendo isso em mente, uma mudança agora é muito bem vinda e praticamente necessária. 2017 foi um ano difícil pra mim, em que tive que encarar diversas situações que me afastaram de mim mesma. Esse ano, quero promover esse reencontro, essa reconfiguração comigo mesma. E acredito que mudanças capilares tem tudo a ver com mudanças de vida. Preciso de um 2018 diferente e acredito que um cabelinho renovado me fará sair uma nova pessoa. Quem sabe mais eu mesma?

Deixe um comentário